pub-4556602817206729
 
  • Revista Alagoana

Percalços e... Anamnese

Atualizado: 10 de out. de 2020


Texto de Erika Basílio


Andrey vieira é alagoano e tem 24 anos. Sua primeira vivência nos palcos foi em 2017, quando resolveu gravar um single para participar de um festival e acabou gostando da experiência como artista solo. Com isso, em 2019, resolveu gravar seu primeiro EP.

Foi ai que ANAMNESE nasceu. Lançado em janeiro deste ano, o EP foi produzido, gravado, mixado e masterizado nos estúdios da Maná Records, aqui em maceió, entre julho e outubro de 2019.


Mas o que significa Anamnese, afinal? Olhando a sua etimologia, a palavra pode significar uma lembrança pouco precisa; reminiscência e até recordação. E se formos mais a fundo, na filosofia platônica, o significado é de uma rememoração gradativa através da qual o filósofo redescobre dentro de si as verdades essenciais e latentes que remontam a um tempo anterior ao de sua existência empírica. Mas Andrey da outra explicação também válida: o significado, na medicina, vai desde os sintomas iniciais até o momento da observação clínica, realizado com base nas lembranças de um paciente.

Através disso, já dá para entender sobre o que o EP retrata.


Seu primeiro single, Percalços, foi também gravado em ruas alagoanas e traz justamente a lembrança de algo passado - um amor, uma amizade - que estava distante e volta a mente aos poucos. As cinco músicas que o EP possui, têm uma pegada e um toque muito delicado e leve."Definir meu som é algo bem difícil pra mim. Acredito que seria mais fácil "rotular" como MPB, mas minhas canções passam pelo rock, pelo blues, pelo soul…", diz o artista alagoano.





Falando de sua maior inspiração para suas músicas, ele responde que é o também alagoano, Djavan. "Definitivamente é um grande ídolo, sou fã da musicalidade dele e da criatividade - do ponto de vista lírico - dele. Ver um alagoano chegar tão longe, se tornar uma unanimidade na música popular brasileira, é um motivo de orgulho e inspiração ao mesmo tempo", diz Andrey


Mas além dele, o jovem artista não deixa de citar outro nome: Robson Cavalcante, seu amigo de infância. "Cresceu comigo e partilhamos o gosto pela música durante a vida inteira. Pianista de primeira, caminha comigo e me incentiva a gravar minhas composições desde o início. Robson já lançou dois álbuns magníficos ("Lar do Viajante" e "Restinga") e eles definitivamente me inspiraram a querer produzir o Anamnese. Inclusive, Robson gravou pianos e sintetizadores no meu EP". E finaliza: "eu poderia citar outros grandes nomes de Alagoas que chegaram longe, mas esses dois que mencionei são definitivamente os mais importantes".


Suas letras retratam situações muitas vezes pessoais do cantor. O mesmo diz que suas elas representam através de metáforas ele conversando consigo mesmo em situações de ansiedade que ocorreu em sua vida."Por conta disso, por todas as músicas ter um 'eu' projetado para o exterior, eu resolvi colocar o nome de Anamnese, é como uma conversa medico-paciente", explica Andrey.


Disponível no YouTube e outras plataformas de música, Anamnese veio para mostrar que a música raiz alagoana ainda vive e é muito apreciada.

10 visualizações0 comentário
 
pub-4556602817206729