pub-4556602817206729
 
  • Revista Alagoana

"Uma coisa que tem que ser desmistificada, é que ideias simplesmente vem na cabeça do artista"

Atualizado: 10 de out. de 2020

Mateus Campos, pernambucano, reside em Maceió (AL) desde os treze anos de idade. Com 20 anos, já é um ilustrador e quadrinista, tendo começado profissionalmente há três anos. Apesar da pouca idade, Mateus tem uma percepção muito clara sobre sua produção artística e suas referências. Através do Instagram, ele divulga grande parte de suas tirinhas. Curiosamente, elas transmitem uma sensação de aconchego, porque as situações que o ilustrador cria faz com que o publico se identifique e interaja.


Texto de Lícia Souto



- O que despertou sua curiosidade pela ilustração? E como você começou a produzir?


Mateus - Desde que eu consigo me lembrar, eu tinha uma caneta e um lápis na minha mão e estava sempre rabiscando por aí. Então não tenho como dizer que algo em especifico despertou meu interesse na ilustração, porque desde pequeno eu já desenhava e dizia que queria ser desenhista profissional. Mas lembro de ter sido muito influenciado pelas revistinhas da Turma da Mônica, e através disso quis começar a contar minhas próprias histórias através de desenhos. Quando meus pais viram que eu tinha interesse na área, eles fizeram de tudo para me incentivar e compraram algumas revistas de como aprender a desenhar para eu poder me aperfeiçoar. Outros parentes também fizeram o mesmo e com o tempo fui me aperfeiçoando, felizmente eu cresci em um ambiente que tive esse apoio e incentivo para continuar.


- Como funciona seu processo criativo?


Mateus - Meu processo criativo vai variar dependendo do trabalho que eu tenho que realizar, mas eu sempre procuro referências e procuro entender melhor o assunto para eu poder abordar com mais clareza, sempre rabisco e anoto tudo que pode ser útil para a execução do trabalho. Uma coisa que tem que ser desmistificada, é que ideias simplesmente vem na cabeça do artista. Pode ocorrer, sim, e alguns dos meus trabalhos foram assim, mas na sua grande maioria o artista tem que ir atrás da ideia, e a partir daquela ideia surge outra e assim por diante; tudo que está ao redor do artista também afeta a criatividade e afeta a forma como a ideia vai ser explorada.


- Quem são suas referências?


Mateus - Como eu disse antes, eu fui muito influenciado pela Turma da Mônica, também uso como referência a Disney, é meio clichê, mas é algo que tenho bastante carinho. Artistas que com certeza são minhas referências, não só para arte, mas como para tudo são a Helô D’Angelo (ilustradora e quadrinista), o Piccolo (ilustrador e quadrinista), Fefê Torquato (ilustradora e quadrinista), Lila Cruz (ilustradora e quadrinista), Laerte (quadrinista), Caio Martins (designer de personagens), Sarah Handersen (quadrinista), Amanda Jolly (designer de personagem), Laura Price (ilustradora), Hannah Hillam (ilustradora e quadrinista) e entre muitos outros que eu amo.


- Você tem algum personagem principal?



Mateus - Sim, na verdade eu tenho dois que eu diria que são os principais. Tenho um personagem que é um bruxinho e que já tem 3 quadrinhos disponíveis para leitura online. No momento, eu estou desenvolvendo uma história mais extensa para esse personagem e toda sua família, e estou desenvolvendo outras histórias também. O outro que eu diria que é um principal também, sou eu. Pois em todas as minhas tirinhas no Instagram o personagem que aparece é uma representação de minha em algum momento, pode ser algo que tenha acontecido ou algum sentimento que eu quis colocar para fora, e essas tirinhas tem me ajudado bastante a perceber certas coisas de mim mesmo e a me entender.



- Como você está passando por essa quarentena?


Mateus - Eu tenho tentado levar um dia de cada vez. Mesmo sendo acostumado a ficar em casa e a trabalhar de casa, em alguns momentos são difíceis e está tudo certo, porque ninguém é de ferro, mas meus desenhos e minhas tirinhas tem me ajudado bastante a ficar são e a pôr para fora coisas que só consigo através do desenho. Muitas tirinhas que eu faço eu não posto, porque elas são somente uma forma que eu encontrei de colocar para fora certas coisas que estão presas dentro de mim. Então tem me ajudado bastante a conseguir ficar são nesses últimos dias.



Tirinha de Mateus divulgada no Instagram, onde ele escreve: "Nesse tempo em que estamos vivendo, tá tudo bem não ser produtivo e não se cobrar tanto. Viva um dia de cada vez, que nós vamos conseguir passar por isso juntos (fique em casa se puder e beba água)."

72 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
pub-4556602817206729